Quem sou eu

Pesquisar este blog

domingo, 18 de setembro de 2011

Depoimento de T. Riker

"Eu sou trineto de Herbert A. Riker e David B. Riker. Meus Bisavos eram primos: Sergio Adriano Riker, filho de Herbert e Anna Souza., e Antonia Davina Riker, filha de David Bowman Riker e Carolina Colares.

O patriarca da familia Riker, Robert Henry Riker, na realidade era natural de Savannah, Georgia, onde nasceu 1824.

Robert era tataraneto de Abraham Rijken Van Lent, o antigo proprietario da ILHA Riker, Nova York.

Embora seu filho, David B. Riker, em seu manuscrito, escreveu que seu pai nasceu em Charleston, o censo da cidade de Charleston, do ano de 1861, diz que o grande patriarca, nasceu na Georgia.

Sua esposa era Sarah Happoldt, filha do judeu alemão Christian David Happoldt e Sarar Marlen, de Charleston.

Meu tataravo não foi um militar - na realidade podemos dizer que ele e seu irmão (David Rike) foram empresarios da Guerra. Muitas de suas empresas, prestaram serviços para a Confederação, segundo recibos que me foram enviados dos EStados Unidos.

Estou escrevendo um livro que conta bem a Historia da familia Riker. Espero que seja publicado em 2012.

David Afton Riker, que tive oportunidade de conhecer, quando morou em STM, muito ajudou, com informações, e conselhos.

Ele foi tio de Minha avó --

Segundo o Reitor Daculdade Teologica Batista Equatorial, o pastor Dr. David B. Riker,. Phd, diz que, o seu avô David Bowman Riker, ajudou o Missionário sueco, Eurico Nelson, o implantar, o trabalho evangelico Batista em Santarém, sendo responsavel pela contrução do segundo Templo Batista em Santarém.

Uma outra informação é sobre o SOLAR Branco em STM -- narealidade o nome de tal Solar deveria ser Solar Riker -- uma vez que suas proprietarias foram honorina e America Riker --

Graça e paz

T. Riker
7 de setembro de 2011 09:15"
colaboração: T. Riker

Um comentário:

Alan Lemos disse...

O provável motivo de ser "Solar dos Branco" é porque Honorina (primogênica de David B. Riker, mais conhecida como Iaiá) casou-se com Ladislau Branco.

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.