Quem sou eu

Pesquisar este blog

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Poesia de Quinta

Pessoal,

O Poesia de Quinta de hoje, de modo algum, é um estímulo ao consumo exagerado do álcool. Muito pelo contrário. Cada um faz o que quer da sua vida.

Mas achei esta poesia super bem humorada e também bem construída e por isso resolvi mandar para vocês apreciarem também, sem moderação.

Este poema é de um amigo do meu irmão mais velho, que se chama AYMORÉ ALVIM FILHO, publicada no seu livro "Impressões e Amores", presenteado a mim recentemente pelo pai do poeta, que foi meu prof. do curso de Medicina, meu querido mestre Aymoré.

Ofereço a poesia de quinta de hoje, carinhosamente, a uma das pessoas mais bem humoradas e menos estressadas que eu conheço (será que é efeito dos drinks???!!!), o meu irmão mais velho Bernardo Jr, vulgo "Nhanhon".

Beijos bem humorados,

Deíla

AO ABSTÊMIO CHATO
Aymoré Alvim Filho

"Quem não bebe não se ama!???" Grande besteira!!!
Se bebo por prazer, porque gosto,
deixando de beber, aí sim, o desgosto.
E de desgosto morreria, não de bebedeira!

E não a culpe por um desastre moral.
O álcool não transforma, só revela
que por trás do "bom moço", da "donzela",
muitas vezes, há a puta, a bicha, o boçal.

O Fígado?! Sim, preocupa-me a saúde:
se não bebo, o estresse, a tristeza... o pior!
A falta de grode me levará pr´o ataúde.

Ressaca?! É o de menos,rapaz.
P´ra isto não há receita melhor:
Não parar de beber, nunca, JAMAIS!!!


PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

terça-feira, 25 de maio de 2010

NIVER DE FÁTIMA EM SANTARÉM

Estamos divulgando fotos do Niver da associada Fátima Monteiro, esposa de Ronaldo Wanghon Monteiro, que aconteceu no dia 05 de maio, na cidade de Santarém.

Só tinha gente fina, todos com o cartão Yamada (hehehe!!!).

Desejamos felicidades, saúde e sucesso para Fátima e sua família.

domingo, 23 de maio de 2010

Fotos antigas de Johnson Vaughan nos E.U.A

"I do hope these photos as well as the 1920s Nashville, TN newspaper article and the family structure of James H Vaughan will be enough material for you to write an article on this Confederado family. Sorry we don't know more but our information is scarce.
Al"

"Eu espero que essas fotos, bem como na década de 1920 em Nashville, TN artigo de jornal e a estrutura da família de James H. Vaughan seja material bastante para você escrever um artigo sobre esta família de Confederado. Desculpe, mas não sei mais, pois nossa informação é escassa. Al"

Segue abaixo algumas fotos do album de família, período entre 1850 e 1870, recebidas através de e-mail e enviadas por Al Sims, de Atlanta E.U.A., que retratam o Sr. Johnson Vaughan, William Jennings, Etherlender Vaughan e outros dois possíveis parentes que estão sem identificação.

Below some photos of family album of the period between 1850 and 1870, received via e-mail and sent by Al Sims, Atlanta USA, portraying Mr. Johnson Vaughan, William Jennings, Etherlender Vaughan and other relatives who are two possible without identification.

JOHNSON VAUGHAN

WILLIAM JENNINGS


ETHERLENDER VAUGHAN









FOTOS SEM NOMES MAS DE POSSÍVEIS FILHOS OU PARENTES DE JOHNSON VAUGHAN





quinta-feira, 20 de maio de 2010

MUTIRÃO NA ASDECON


Aos associados e parentes da ASDECON,

Tendo em vista a realização da Festa Junina da ASDECON, que será realizada no dia 06.06.2010, na sede da Associação em Benfica, conforme programação definida em reunião, o Presidente da mesma solicita colaboração dos sócios nos finais de semana (22 e 23.05 - 29 e 30.05.2010) para execução de alguns serviços, como: limpeza, espalhar aterro/areia, caiar plantas, etc. Informa que quem não puder participar pessoalmente dos serviços que pode colaborar com algum valor para ajudar no pagamento de pessoas.A intenção é que nossos convidados sintam-se bem e que possam retornar outras vezes em nossos eventos.


Maiores informações com o Presidente, Sr. Elvio, no telefone 8216-4951

Celeste Sousa - Sócia da ASDECON

Poesia de Quinta

Pessoal,
Estou numa fase de muitas mudanças, verdadeira quebra de paradigmas na minha vida!!!
Eu, que sempre fui uma criança ocupada, adolescente multitarefas, a universitária que fazia dois cursos difíceis ao mesmo tempo, a jovem que em pouco tempo se tornou numa adulta "workaholic" (viciada em trabalho) rsrsrsrsrs, resolvi mudar, trabalhar menos, ter mais tempo para mim, qualidade de vida!
E esta semana é marcante para mim, pois representa justamente esta minha mudança de fase, fechamento de ciclos, abertura de novos...Enfim, ando bastante emocionada estes dias.
E aí escolhi esta poesia de Cecília Meireles, bem intimista, para representar o que eu sinto. Gosto muito da frase que coloquei em negrito. Eu, que sou tão moderna, mas que curto também o antigo...
Dedico com especial carinho esta poesia para minha quase ex-chefe, Socorro Rios, pela qual nutro profundo carinho e admiração (além de gratidão também, por tudo que ela já fez para me ajudar!!!) e que entendeu perfeitamente esta minha mudança para a fase de flor de vento...
Beijos
Deila

SONETO ANTIGO
Cecília Meireles
Responder a perguntas não respondo. Perguntas impossíveis não pergunto. Só do que sei de mim aos outros conto:de mim, atravessada pelo mundo.

Toda a minha experiência, o meu estudo,sou eu mesma que, em solidão paciente,recolho do que em mim observo e escutomuda lição, que ninguém mais entende.

O que sou vale mais do que o meu canto.Apenas em linguagem vou dizendocaminhos invisíveis por onde ando.

Tudo é secreto e de remoto exemplo.Todos ouvimos, longe, o apelo do Anjo.E todos somos pura flor de vento.

PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

De Sam de Matos sobre as colônias confederadas americanas no Brasil após a guerra civil americana

Recebemos e-mail do amigo Sam de Matos, cidadão Americano-Brasileiro, morador da Carolina do Sul (E.U.A), que fala sobre as colônias de confederados americanos no Brasil, após a guerra civil americana.
Leia o texto:
NOTE 1: As a direct result of the outcome of the War Between States, Americans from the South migrated to Brazil forming three major Colonies: AMERICANA-SANTA BARBARA in Sao Paulo, SANTAREM in Amazon and one that failed, by the Rio Doce River, in the Espirito Santo State. From this defunct Colony, broken pieces and faint remains was what I fount as a child. Years later, I tried to put the pieces together in a novelette, and THOMPSONVILLE was a name that came into my mind when I wrote "MAN OF RESPECT." Thompsonville became this unnamed Colony. Let's see if I can attache its fictional story in this section. Hope yawl enjoy it.

NOTA 1: Como consequência direta do resultado da guerra entre estados, os americanos do Sul migraram para o Brasil formando três grandes colônias: Americana, Santa Bárbara, em São Paulo, Santarém, na Amazônia e que falhou, pelo Rio Doce Rio, no Estado do Espírito Santo. A partir desta extinta Colônia, pedaços e leve lembrança de quando eu ainda era uma criança como fonte. Anos mais tarde, eu tentei colocar os pedaços juntos em uma novela, e Thompsonville era um nome que veio à minha mente quando eu escrevi "homem de respeito". Thompsonville tornou este anônimo Colony. Vamos ver se eu posso passar sua história fictícia nesta seção. Espero desfrutar e apreciá-lo.

Correspondência de

Segue abaixo texto do e-mail que recebemos do Sr. Al Sims, direto dos E.U.A., dando detalhes sobre James H. Vaughan, como se segue:

"This is the latest research on the family of Confederado James H. Vaughan. US census information is fairly reliable. Most of the children match the names mentioned in the rootsweb article on James H. Vaughan but some do not. Many of the children seemed to have Brazilian nicknames which would explain some of the confusion. The twins named in the rootsweb article seem to be in error.
I have photos of son Ethelender who remained behind in Nashville and step-son William Jennings, who returned to Nashville for his education then came back to Brazil. One unidentified photo seems to be a brother of William. They certainly have the same lower face and nose.
Sincerely,
Al Sims (James Vaughan's father was my great great great grandfather)"

"Esta é a mais recente pesquisa sobre a família de James H. Vaughan. A informação é do censo dos E.U.A. e bastante confiável. A maioria das crianças correspondem aos nomes mencionados no artigo RootsWeb sobre James H. Vaughan, mas alguns não. Muitas das crianças pareciam ter apelidos brasileiros que explicaria algumas das confusões. Os gêmeos citados no artigo RootsWeb parecem estar com erro.
Tenho fotos do filho Ethelender que ficou para trás em William Jennings Nashville e filho-passo, que retornou a Nashville para a sua educação, em seguida, voltou ao Brasil. Uma foto não identificada parece ser um irmão de William. Eles certamente têm a mesma face inferior e nariz.
Sinceramente,
Al Sims (o pai de James Vaughan foi meu bisavô)"

"Concerning my Confederado co-lineal ancestor, James H. Vaughan:
Wilson County, Tennessee 1860 Federal census:

James H. Vaughan age 46 b. 1814 (head of household)
Elizabeth Britt age 34 b. 1826 (wife of James)
Madora F. age 21 b. 1839 (mother Mary Oldham) (Madora F. was Frances in 1850 census)
D.J. age 20 b. 1840 (mother Mary Oldham) (D.J. was D. Johnson in 1850 census)
Mary E. age 18 b.1842 (mother Mary Oldham)
James W. age 16 b. 1844 (mother Mary Oldham)
Charles H. age 13 b. 1847 (mother Mary Oldham)
John W. age 11 b.1849 (mother Mary Oldham)
Hugh T. age 8 b. 1852 (mother uncertain)
Ethelender age 5 b. 1855 (mother Elizabeth Britt)(have photo, Nashville circa 1865-70)
Benjamin B. 11 mos b. 1859 (mother Elizabeth Britt)(twin)
Edward Willis 11 mos b. 1859 (mother Elizabeth Britt) (twin)

Children of Elizabeth Britt from prior marriage to Jennings
Fountain Pitts Jennings age 13 (1860 census, all)
William Jennings age 12 (have photo, Nashville circa 1865-70)
James Jennings age 10
Glenn Jennings age 9

Have one unidentified photo taken the same day at the same studio from the same (Vaughan)family photo album who resembles William Jennings enough to be a brother. Same nose, same mouth, same mustache."


"Quanto o meu antepassado Confederado co-linear, H. James Vaughan:
Wilson County, Tennessee Federal censo 1860:

James H. idade Vaughan 46 b. 1814 (chefe da família)
Elizabeth idade Britt 34 b. 1826 (esposa de James)
MADORA F. 21 anos b. 1839 (a mãe de Maria Oldham) (MADORA F. foi Frances em 1850 census)
D.J. 20 anos de idade b. 1840 (a mãe de Maria Oldham) (DJ era D. Johnson, em 1850 census)
Mary E. b.1842 18 anos de idade (mãe de Maria Oldham)
James W. idade 16 b. 1844 (a mãe de Maria Oldham)
Charles H. idade 13 b. 1847 (a mãe de Maria Oldham)
John W. idade 11 b.1849 (mãe de Maria Oldham)
Hugh idade T. 8 b. 1852 (incerto mãe)
Ethelender 5 anos b. 1855 (a mãe de Elizabeth Britt) (tem foto, cerca de Nashville 1865-1870)
Benjamin B. mos 11 b. 1859 (a mãe de Elizabeth Britt) (twin)
Edward Willis 11 mos b. 1859 (a mãe de Elizabeth Britt) (twin)

Crianças de Elizabeth Britt do casamento antes de Jennings
Fountain Pitts idade Jennings 13 (censo de 1860, todas)
William Jennings 12 anos de idade (tem foto, cerca de Nashville 1865-1870)
James Jennings 10 anos de idade
Glenn Jennings 9 anos

Tem uma foto não identificada tomada no mesmo dia e no mesmo estúdio (Vaughan) foto de álbum de família que se parece com William Jennings suficiente para ser um irmão. mesmo nariz, mesma boca, mesmo bigode."

Correspondência recebida de Atlanta (E.U.A.)


Publicamos abaixo o texto da mensagem que recebemos do Sr. Al Sims, de Atlanta E.U.A,solicitando informações sobre o nosso patriarca James Vaughan. Segue também uma foto de Johnson Vaughan, pai de James Vaughan, em 1920, nos E.U.A.

"This is a news article of the Vaughan family reunion in Nashville in 1920. The photo is of Johnson Vaughan, father of Confederado James H. Vaughan. The boy in the photo is Ethelender(Thell)Vaughan, son of James. Ethender remained behind when James migrated to Brazil with most of his family.
We are hoping that someone has a photo of James for our family history book that should publish in late 2010.
Johnson Vaughan is my great great great grandfather.
Al Sims - Atlanta"

"Este é um artigo da reunião da família Vaughan em Nashville, em 1920. A foto é de Johnson Vaughan, pai de James H. Vaughan (Confederado). O rapaz na foto é Ethelender (Thell) Vaughan, filho de Tiago. Ethender ficou para trás quando James migrou para o Brasil com a maior parte de sua família. Estamos esperando que alguém tenha alguma foto de James para o nosso livro de história da família que deve ser publicado no final de 2010.
Johnson Vaughan é o meu bisavô ótima.
Al Sims - Atlanta"

Poesia de Quinta

Este convite vai para todo o grupo do Poesia de Quinta, mas infelizmente, só é possível para os amigos que moram em São Luís.

Imperdível o sarau literário e musical previsto para esta sexta-feira (dia 21 de maio) às 18 h, na Sede da ESMAM (Escola de Magistratura do Maranhão), bem na avenida Colares Moreira, no prédio onde era o antigo Yazigi, na esquina com a Rua Sucupiras (que vai para o Arraial do Renascença).

O anterior foi excelente e a programação do atual está melhor ainda. Sair do trabalho e relaxar em um sarau cultural, não tem programa melhor na cidade!!!

Não deixem de prestigiar. O evento é aberto a toda comunidade e não apenas a juristas e poetas...Basta gostar de arte e precisar dela para adoçar a vida.

Beijos

Deíla

quinta-feira, 13 de maio de 2010

Poesia de Quinta

Gente,
Eu adoro receber as contribuições de vocês!!! Até porque fico conhecendo novos poetas, trabalhos incríveis. A Poesia de Quinta de hoje vai para o meu querido colega de profissões (é médico e advogado também!!! rsrsrs), que mora lá no Rio de Janeiro e que nos brindou com esta bela poesia hebraica, que eu não conhecia. Linda!!! Obrigada, Roberto... Vc é muito gentil, sempre.
Beijos
Deíla

"Querida Deila:
Como amanhã é quinta, dia das poesias suas e que tanto aprecio, resolvi enviar esta como contribuição. É de um poeta hebraico, Yehuda Amichai, que nasceu em 1924, na Alemanha, e morreu em 2000. Não tem livros publicados no Brasil. Seu poema "Aeromoça" foi traduzido por Monique Balbuena. Segue abaixo.
Aeromoça
E uma aeromoça mandou apagar todos os apetrechos de fumoE não especificou: cigarro, charuto ou cachimbo.E eu respondi no meu coração: você tem belos apetrechos de amor,E também não especifiquei.
E ela disse que eu apertasse o cinto e me afivelasseÀ poltrona, e eu respondi:Quero que todas as fivelas na minha vida tenham a forma da sua boca.
E ela disse: Você quer café agora ou mais tarde,Ou nunca. E passou por mim,Alta de tocar o céu.
A pequena cicatriz no alto do seu braçoIndicava que jamais contrairia varíolaSeus olhos indicavam que jamais voltaria a se apaixonar:Pertence ao partido conservadorDaqueles que só tem um grande amor na vida
."

PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

segunda-feira, 10 de maio de 2010

Contatos com Sam de Mattos e Al Sims

Reproduction of the contact received via email and the reply sent, as follows
Reproduzimos o contato que recebemos por e-mail e a resposta que enviamos, como se segue:
"Hello Geraldo. Sam de Mattos provided your e-mail address. He says you are a descendant of James H Vaughan, of Tennessee.
My name is Al Sims and I am a direct descendant of Johnson Vaughan, father of James Vaughan. I am writing a family history book and James Vaughan will have a biography page in this book. I have read the rootsweb articles on James Vaughan but would like to have more information on him and his descendants.
Questions:
1)Do you know what Confederate unit James served in during the war?
2)Are you familiar with Ethander(Thell)Vaughan, son of James? He wasn't named as one of James' children in the rootsweb article.
3)Has the grave of James Vaughan been located?
4) Do you have any photos of James or his family? We have photos of Johnson Vaughan (father) and Thell (son, who apparently stayed behind).
I am excited to make contact with a Vaughan cousin and look forward to a dialogue so we can exchange family information.
Sincerely,
Al Sims
Olá Geraldo. Mattos de Sam por e-mail.
Ele diz que você é um descendente de James H Vaughan, do Tennessee.
Meu nome é Al Sims e eu sou um descendente direto de Johnson Vaughan, pai de James Vaughan. Estou escrevendo um livro sobre a história da família e James Vaughan terá uma página de biografia neste livro. Eu li os artigos RootsWeb sobre James Vaughan, mas gostaria de ter mais informações sobre ele e seus descendentes.
Perguntas:
1) Você sabe o que unidade confederado James servido durante a guerra?
2) Você está familiarizado com Ethander (Thell) Vaughan, filho de James? Ele não foi nomeado como um dos filhos de James no RootsWeb article.
3) Contém o túmulo de James Vaughan foi localizado?
4) Você tem alguma foto de James ou da sua família?
Temos fotos de Johnson Vaughan (pai) e Thell (filho, que, aparentemente, ficou para trás).
Estou animado para fazer contato com um primo Vaughan e esperamos um diálogo para que possamos trocar informações.
Sinceramente,
Al Sims"
"Estimated Al Sims, good evening! I am very glad to receive your contact and thank you for your kindness. My English is not the best but I will try to answer your requests. Actually, I know little about the history of the family but I am the editor of the blog where http://asdecon.blogspot.com trackers edict about the things families Vaughan-Jennings. The ASDECON is an association of descendants of Confederate Americans in Santarem, which was founded in the 1980s and has a rustic seat at Benfica, Benevides district, near Belém We have an association with its own land and we usually get together whenever possible on weekends. As for Mr. James, I believe we have little information about it but could indicate a cousin, Mrs. Christmas food Vaughan (tel. (091) 3087-7715), who knows well the history of Confederate and may help you a lot. Just do not know if she will have pictures of him. If you can send the photos that you have to Vaughan Johnson (father) and Thell (child) for posting on the blog ASDECON. If you want to send material on the subject the blog is at your disposal. Follow other emails from relatives and friends ConfederatesAbout your questions, I will respond shortly.
Questions:
1) You know where James served as Confederate unit during the war?
2) Are you familiar with Ethander (Thell) Vaughan, son of James? He was not named as a son of James at RootsWeb article.
3) Is the location of the tomb of James Vaughan?
4) Do you have a photo of James or his family?
We have pictures of Vaughan Johnson (father) and Thell (son, who apparently stayed behind).
Greetings,
Gerardo

Estimado Al Sims, boa noite!
Estou muito alegre em receber o seu contato e agradeço por sua gentileza.
Meu inglês não é dos melhores mas vou tentar responder suas solicitações.
Na verdade, eu pouco sei sobre a história da família mas sou editor do blog http://asdecon.blogspot.com onde edito matéiras sobre as coisas das famílias Vaughan-Jennings. A ASDECON é uma associação de descendentes de confederados americanos em Santarém, que foi fundada na década de 1980 e tem uma sede campestre em Benfica, distrito de Benevides, próximo de Belém. Temos uma associação com terreno próprio e costumamos nos reunir sempre que possível nos finais de semana.
Quanto ao Sr. James, acredito que temos poucas informações sobre ele mas poderia indicar uma prima, a Sra. Natalice Vaughan (tel. (091) 3087-7715), que conhece bem a história dos confederados e poderá lhe ajudar bastante. Só não sei se ela terá fotos dele. Se for possível envie as fotos que você tem de Johnson Vaughan (pai) e Thell (filho) para divulgação no blog da ASDECON. Se quiser enviar matérias sobre o assunto o blog está a sua disposição. Seguem outros e-mails de parentes e amigos confederados.
Sobre suas perguntas, tentarei responder em breve.
Perguntas:
1) Você sabe em que unidade confederada James serviu durante a guerra?
2) Você está familiarizado com Ethander (Thell) Vaughan, filho de James? Ele não foi nomeado como um dos filhos de James no artigo RootsWeb.
3) Tem a localização do túmulo de James Vaughan?
4) Você tem alguma foto de James ou da sua família? Temos fotos de Johnson Vaughan (pai) e Thell (filho, que, aparentemente, ficou para trás).
Saudações,
Gerardo"
Contatos / Contacts:
Sam de Mattos
Sales Director - Brazil
Ph: 864/574-8433
Cell: 864/580-0194
Fax: 864/574-1466
SKYPE: sam.de.mattos

sábado, 8 de maio de 2010


Internacionalização da Amazônia

Essa merece ser lida, afinal de contas não é todo dia que um brasileiro dá um esculacho educadíssimo nos americanos!




Durante debate ocorrido no mês de Novembro/2000, em uma Universidade, nos Estados Unidos, o ex-governador do DF, ex-ministro da educação e atual senador CRISTÓVAM BUARQUE, foi questionado sobre o que pensava da internacionalização da Amazônia.

O jovem americano introduziu sua pergunta dizendo que esperava a resposta de um Humanista e não de um brasileiro.

Esta foi a resposta do Sr. Cristóvam Buarque:

"De fato, como brasileiro eu simplesmente falaria contra a internacionalização da Amazônia. Por mais que nossos governos não tenham o devido cuidado com esse patrimônio, ele é nosso.

"Como humanista, sentindo o risco da degradação ambiental que sofre a Amazônia, posso imaginar a sua internacionalização, como também de tudo o mais que tem importância para a humanidade.

"Se a Amazônia, sob uma ética humanista, deve ser internacionalizada, internacionalizemos também as reservas de petróleo do mundo inteiro.O petróleo é tão importante para o bem-estar da humanidade quanto a Amazônia para o nosso futuro. Apesar disso, os donos das reservas sentem-se no direito de aumentar ou diminuir a extração de petróleo e subir ou não o seu preço."

"Da mesma forma, o capital financeiro dos países ricos deveria ser internacionalizado. Se a Amazônia é uma reserva para todos os seres humanos, ela não pode ser queimada pela vontade de um dono, ou de um país.
Queimar a Amazônia é tão grave quanto o desemprego provocado pelas decisões arbitrárias dos especuladores globais. Não podemos deixar que as reservas financeiras sirvam para queimar países inteiros na volúpia da especulação.

"Antes mesmo da Amazônia, eu gostaria de ver a internacionalização de todos os grandes museus do mundo. O Louvre não deve pertencer apenas à França.
Cada museu do mundo é guardião das mais belas peças produzidas pelo gênio humano. Não se pode deixar esse patrimônio cultural, como o patrimônio natural Amazônico, seja manipulado e instruído pelo gosto de um proprietário ou de um país. Não faz muito, um milionário japonês,decidiu enterrar com ele, um quadro de um grande mestre. Antes disso, aquele quadro deveria ter sido internacionalizado.

"Durante este encontro, as Nações Unidas estão realizando o Fórum do Milênio, mas alguns presidentes de países tiveram dificuldades em comparecer por constrangimentos na fronteira dos EUA. Por isso, eu acho que Nova York, como sede das Nações Unidas, deve ser internacionalizada. Pelo menos Manhattan deveria pertencer a toda a humanidade. Assim como Paris, Veneza, Roma, Londres, Rio de Janeiro, Brasília, Recife, cada cidade, com sua beleza específica, sua historia do mundo, deveria pertencer ao mundo inteiro.

"Se os EUA querem internacionalizar a Amazônia, pelo risco de deixá-la nas mãos de brasileiros, internacionalizemos todos os arsenais nucleares dos EUA. Até porque eles já demonstraram que são capazes de usar essas armas, provocando uma destruição milhares de vezes maiores do que as lamentáveis queimadas feitas nas florestas do Brasil.

"Defendo a idéia de internacionalizar as reservas florestais do mundo em troca da dívida. Comecemos usando essa dívida para garantir que cada criança do Mundo tenha possibilidade de COMER e de ir à escola. Internacionalizemos as crianças tratando-as, todas elas, não importando o país onde nasceram, como patrimônio que merece cuidados do mundo inteiro.

"Como humanista, aceito defender a internacionalização do mundo. Mas, enquanto o mundo me tratar como brasileiro, lutarei para que a Amazônia seja nossa. Só nossa!"

DIZEM QUE ESTA MATÉRIA NÃO FOI PUBLICADA, POR RAZÕES ÓBVIAS. AJUDEM A
DIVULGÁ-LA, SE POSSÍVEL FAÇAM TRADUÇÃO PARA OUTRAS LÍNGUAS.

(*) Cristóvam Buarque (atualmente PDT) foi governador do Distrito Federal e reitor da Universidade de Brasília (UnB), nos anos 90. É palestrante e humanista respeitado mundialmente.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Poesia de Quinta

por: Deíla Maia
Pessoal, o poesia de quinta de hoje quase não saiu: dia cheio, noite com aniversario...
Deíla

Alma Mater - Pequeno Ser
Frassino Machado

'Stou sentado na esplanada
folheando meu dossier
vindo ali da passarada
alma mater, pequeno ser.

Em brando voo receoso
lá chegou ao pé de mim
pardal fino temeroso
debicando amendoim.

Dei-lhe antes do meu pão
que migalhas é com ele
matou fome com paixão
e deu vida à sua pele.

Os seus olhos de safira
amendoados e cretinos
de mim nunca retira
graciosos e ladinos.

Comecei a reflectir
os segredos da Natura
que dos seres do porvir
surge sempre uma ventura.

Mas a borrasca chegou
fazendo grande escarcéu
e o pardal lá esvoaçou
à busca de novo céu.

Já agora vai pelo mundo
uma ameaça inclemente
um mal de aves bem fundo
pondo em p' rigo toda a gente.

Se das aves vem o mal
nem tudo se perderá
ficará sempre um pardal
a alegrar cada manhã !

In AS MINHAS ANDANÇAS

--------------------------------------------------------------------------------

Frassino Machado é o pseudônimo poético de Francisco de Assis Machado da Cunha. Nasceu ao norte de Portugal, na cidade Invicta, desde muito cedo sentiu uma forte inclinação para as Artes, nomeadamente para a Poesia e a Música. Descendente de uma família com essa mesma inclinação, não se admira que - logo na juventude - tenha procurado por todos os meios dar sentido a essa vocação. Paralelamente aos seus variadíssimos estudos, chegou a freqüentar uma Escola Técnica Industrial onde aprendeu a mecânica dos metais e, já na capital, o Instituto Gregoriano de Artes Musicais, onde alicerçou, as suas qualidades de empenho manual, estético e metodológico. O seu profundo amor à Literatura, à História, à Filosofia e à Música, tem sua origem justamente em seus grandes mestres universitários, quando freqüentou o Curso Superior de Filosofia, na Universidade Católica de Lisboa e o Curso de História na Universidade Clássica da mesma cidade.

Contatos: machadofrassino@gmail.com

PS A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependenca cultural

segunda-feira, 3 de maio de 2010

FESTA JUNINA 2010

Parentes,
Na reunião do dia 11/04, as equipes foram formadas para fazer as iguarias para a nossa festa que será realizada em 06/06/2010 durante o dia.
Foi decidido que seria formado uma equipe para fazer levantamento dos valores de todas as comidas, porém como fica muito trabalhoso e mais demorado, a Diretora de Social SRA Natalice pensou melhor e decidimos que cada equipe fará o levantamento do quanto irá gastar. Os valores
devem ser apresentados na próxima reunião dia 02/05 às 10:00 h em Benfica.

Só para esclarecer as pessoas que não estavam presentes na reunião do dia 11/04. O valor total das despesas será divido igualmente para cada membro das equipes, ficando com a possibilidade da Asdecon entrar com uma parte do valor.

Abaixo a formação das equipes:
Natalice, Nássara e Emerson - bolos de macaxeira, de milho e de chocolate, pudim e bolo podre.
Cleucy, Gerardo e Jacenira - Tacacá
Elizete, Celeste, Mauro e Maria Tereza - Vatapá
Elvio, Celson e Yana - churrasco
Rose, Bruno e José - Arroz com galinha e mingau


Será colocado à venda 200 cartelas com cinco iguarias e custará R$5,00 (cinco reais): Bolo de macaxeira, bolo de milho, refrigerante, mingau e arroz com galinha.

OBS: Tacacá, vatapá, churrasco, bolo de chocolate, pudim e bolo podre, serão
vendidos na hora da festa.

Caso haja alguma dúvida, favor entrar em contato com Elizete Sardinha Waughan
(91) 88195911 / 32316993

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

Arquivo do blog

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.