Quem sou eu

Pesquisar este blog

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Poesia de Quinta por Deíla Maia





















Recebemos notícias de São Luis do Maranhão versando sobre reportagem publicada ontem, 21/06, no jornal "O Imparcial", daquela capital, com o título "de" Deíla...
A reportagem relata sobre o lançamento do livro de poesias de Deíla, nossa parenta, filha do casal Dulcinea e Bernardo Wanghon Maia.
O livro foi lançado no último mês de maio, durante a candidatura do Sr. Mário Macieira para presidente da OAB. "Poesias de Quinta" foi o nome escolhido pela autora que justifica o título por ter o hábito de toda 5ª feira colocar na internet alguma poesia, que ela chama de “Poesias de Quinta”. Então, quando o candidato a presidente da OAB resolveu promover uma noite de lançamentos denominado "Advogar com Arte", onde vários advogados apresentaram alguma arte (quadros, conjunto de música, etc.), pediu à Deíla que escolhesse algumas poesias para lançar o seu livro, e assim ela fez...
Segundo Dulcinea, desde pequena Deíla gosta muito de poesias.

Muitas ligações para Deíla e Dulcinea enviando elogios pelo lançamento do livro de posesias e pela matéria publicada no jornal.
Parabenizamos a Deíla pelo seu talento e por suas poesias.





Quinta-feira, 26 de Março de 2009

Poesia de quinta por Deíla Maia

Pessoal,
Nesta última quinta-feira de março, mês da mulher, resolvi escolher uma poesia de uma poetisa maranhense com a qual eu me identifico muito, que é a DAGMAR DESTERRO.
Ela foi uma poetisa maranhense, formada em Ciências Jurídicas e Sociais e também em Pedagogia, que abrilhantou o nosso mundo durante 78 anos (1925 a 2004). Foi membro da Academia Maranhense de Letras. Esta poesia faz parte da obra "Pedra-vida", publicada em 1979.
Espero que no corre-corre do dia-a-dia vocês encontrem um minutinho para apreciar esta gota de poesia no imenso mar da vida.
Beijos
Deíla

CORRIDA
Dagmar Desterro
No avanço do tempo corre a vida,
mas nesse tempo há pedras espalhadas,
pedras agudas, carnes esfarrapadas,
sangue jorrando de cada ferida.
O tempo açoita a vida noite e dia
e ele chora, tropeça, levanta e continua.
Só e esperança anima a travessia;
e a alma corre, descabelada e nua.
E a vida não tem tempo, ao tempo, em meio,
de ver o belo existente no caminho;
não perder na corrida é o seu anseio;
sua atenção conserva em desalinho.
No embrião da vida, no tempo, avanço.
Subidas e descidas ─ tantas conheço:
e na vertigem do correr me canso.
Procuro, em vão, meu horizonte do começo.

Postado por Gois Jr. - MatracaDigital às 05:02
fonte:
Saiba mais sobre Deíla:
fonte: Dulcinea Maia (de São Luis-MA)

domingo, 21 de junho de 2009

The Confederates / Os Confederados



HISTORY / HISTORIA:
3 de april, 2009 por expatbrazil

Cultural Exchange
Intercâmbio Cultural






After the Civil War in the USA, Dom Pedro II placed advertisements in American newspapers and sent recruiting agents north to recruit Confederate Americans to move to Brazil by offering land and financial assistance.
Após a Guerra Civil americana, Dom Pedro II colocou anúncios nos jornais americanos para recrutar agentes norte-americanos confederados para traze-los até o Brasil, oferecendo-lhes terras e assistência financeira.

They settled in four locations:
Estabeleceram-se em quatro locais:

Santarém – an Amazon city. There are descendants still living there today.
Linhares, Rio Doce – State of Espiríto Santo north of Vitoria, the capital
Santa Catarina State – Most left and move to São Paulo State.S
São Paulo State – Americana and Santa Barbara d’Oeste were founded by the Confederados
Santarém - uma cidade amazônica. Existem descendentes que ainda vivem lá até hoje. Linhares, Rio Doce - Estado do Espírito Santo ao norte de Vitória, a capital
Estado de Santa Catarina - Mais à esquerda próximo de São Paulo.
São Paulo - Americana e Santa Bárbara d'Oeste foi fundada pelos Confederados

As the years passed, most of the colonies disappeared as families returned to the US or were assimilated into the Brazilian society. However, Americana in São Paulo State survived and prospered over the years and carries on the legacy of those Southerns who moved to Brazil after the Civil War.
À medida que os anos passaram, a maioria das colônias desapareceram as famílias regressaram para os E.U.A. ou foram assimiladas na sociedade brasileira. No entanto, Americana no Estado de São Paulo sobreviveu e prosperou ao longo dos anos e exerce sobre o legado do Southerns aqueles que se mudaram para o Brasil após a Guerra Civil.

NOTE:
NOTA:
Peace Corps
Brazil would send out Volunteers to survey possible site locations for incoming PCVs. Around 1963, one of these PCVs, while surveying a small town in southern Bahia, was told that there was an American woman living there. He was taken to her home where he met a very elderly lady. She spoke broken English. Supposedly, she was the daughter of one of the original Rio Doce families.

Corpos de paz
O Brasil mandou fazer um levantamento de possíveis locais onde viviam Voluntários para receber PCVs. Por volta de 1963, uma dessas PCVs, enquanto pesquisavam numa pequena cidade do sul da Bahia, foi dito que naquele local vivia uma mulher americana. A chegar na casa conheceram uma senhora muito idosa que falou um quebrado Inglês. Supostamente, ela era a filha de um confederado das famílias originais da colônia do Rio Doce.
Santarém Confedrados - alguma história Visita à Santa Bárbara d'Oeste com fotos Os Confederados - o site oficial brasileiro A história de os E.U. confederados no Brasil - Professor North Texas State University Wikipedia - Confederados Auburn University Coleções Especiais e Arquivos Deparment Brasil, nenhuma promessa de terras confederados Confederar Colônias do Brasil

Posted in HISTORY: Tagged americana, Brazil, civil war, confederados, don pedro II, emigrating to Brazil, rio doce, santa barbara d'oeste, Santarém, sao paulo state 1 Comment
Postado em História: Tagged americana, Brasil, guerra civil, confederados, Dom Pedro II, emigrar para o Brasil, Rio Doce, Santa Bárbara d'Oeste, Santarém, Estado de São Paulo 1 Comentário

fonte:

terça-feira, 9 de junho de 2009

Minuta da ata da ASDECON de 05 de junho de 2009


PRESENTES:
Bruno, Nássara, Miguel, Ronaldo, Élvio, Jacenira, José, Fátima, Natalice, Guilherme, Cleucy e Mauro Vaughan.
PRESTAÇÃO DE CONTAS:
Saldo do Banco do Brasil em 05/06 - R$3.750,52
Retirada para compra dos postes - R$1.700,00
Saldo até 05/06 ............................ R$2.100,52

Na reunião de hoje foram arrecadados R$375,00
Saldo em caixa .............................. R$367,65 + R$375,00 temos um total de R$742,65

SUGESTÕES:
- Élvio - presença de um sócio na ASDECON para fiscalizar e pagar o serviço de roçagem. Todos concordaram.
- Miguel - após a Festa Junina, derrubada de árvores que estão colocando em risco a segurança das casas. Todos
concordaram.
- Miguel - que os sócios voltem a doar material de limpeza para a ASDECON.

DOAÇÃO:
Cleucy - doou R$10,00 para a compra de material de limpeza.

INFORMAÇÕES:
- Miguel - compra de 5 postes de 7 metros no valor de R$190,00 cada um e 1 poste de 11 metros no valor de R$550,00, totalizando R$1500,00. Implantação dos postes: R$250,00 e mão de obra para furar os buracos e dar aguada de concreto: R$250,00;
- Celson e yana não poderão participar da Festa Junina, então Mauro e José doarão o bolo de macaxeira;
- Miguel - a conta do Banco do Brasil está na eminência de ser bloqueada em virtude do estatuto não estar de acordo com as novas normas vigentes no país.

PROVIDÊNCIAS:
- Élvio, Bruno e Miguel - lenha para fogueira;
- Bruno - caniços e brindes para pescaria;
- Ronaldo - compra de 6 sacos para a corrida dos sacos;
- ASDECON - balão e ovos para corrida com ovos na colher;
- Miguel e Natalice - compra de brindes para as brincadeiras;
- Bruno - ir até a ASDECON verificar as condições da decoração junina do ano passado;
- Élvio - fará orçamento do muro da Cleucy. A ASDECON mandará fazer e a Cleucy pagará parcelado;
- Mauro - se prontificou a ajudar a preparar o novo estatuto. Em seu escritório tem advogado que poderá nos instruir. Isto deve ser feito com uma certa urgência.

EQUIPE DO ESTATUTO: Bruno, Nássara, Rose, Mauro, Celeste e Natalice.

PRÓXIMA REUNIÃO:
Dia: 30 de junho de 2003 (3a.feira)
Hora: 19 horas
Local: Residência da Natalice

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.