Quem sou eu

Pesquisar este blog

quinta-feira, 25 de novembro de 2010

Poesia de Quinta

Pessoal,

A Poesia de Quinta de hoje vai dedicada para o meu amigo "poetinha" e sonhador, Cleyton, que aniversaria amanhã.

Esta poesia é de William Shakespeare e nos remete ao importante mundo dos sonhos... Podem chamar de idealização, outros de meta, delírio, bobagem, desejos... O que quiserem.

Mas sem os sonhos, nossa vida não teria a menor graça, não é mesmo???

Beijos sonhadores!!!!!

Deila


Há quem diga que todas as noites são de sonhos.

Mas há também quem garanta que nem todas, só as de verão.

No fundo, isto não tem muita importância.
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos.

Sonhos que o homem sonha sempre,

Em todos os lugares,

Em todas as épocas do ano,

Dormindo ou acordado.


PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

MENSAGEM PARA OS JOVENS

DEPOIMENTO DE UM BRASILEIRO

Reproduzo a seguir o emocionado depoimento feito pelo amigo Marcos Moraes, desportista e jornalista de Belém do Pará, natural do Ceará, nordestino da gema e acima de tudo, brasileiro.
"Calem a boca nordestinos"
"Tomado de muita emoção terminei de ler o texto "Calem a boca nordestinos", do conterrâneo José Barbosa Júnior. A emoçãqo se deu por conta da beleza de conhecimento do camarada Barbosa, que, ao contrário da pobre Mayara, que discriminou os irmãos das bandas de cá, mostrou-se sensível, inteligente e competente para deixar claro que o Brasil, muitas vezes, não conhece o Brasil. Não sabe a contribuição que o povo do Norte e do Nordeste deu e dá a este País em todos os setores, das artes ao comércio, da literatura à política. Sim, na política também, embora nem tudo sejam flores, este torrão amado por este modesto escriba deu ao Brasil e ao mundo a figura humilde, inteligente, competente e assaz querida de Luis Inácio Lula da Silva, o presidente mais amado e mais popular que o Brasil já teve. Finalizo dizendo que sou do Nordeste, com orgulho simples, de ser uma pessoa que ajuda a fazer este país transformar-se em Pátria dos Brasileiros, sem distinção de cor, raça ou credo. E o melhor, sem distinção de região. Sou (e somos) brasileiros, nortistas e nordestinos com a felicidade de não discriminar os chamados sulistas. Porque se eles são o que são certamente conseguiram com o apoio do nosso povo, dos nossos antepassados como meu velho pai que quando jovem, na década de 50, foi para Santos, depois voltou para seu Ceará querido. Mas nunca esqueceu que viveu bons momentos na Terra da garoa. É assim que nós somos. Sempre gratos, sempre humanos. Os do Sul e Sudeste têm qua aprender muito ainda conosco, porque parece que o fantasma da ingratidão, da hipocrisia e da maldade infelizmente ainda perturba boa parte desses nossos irmãos de lá."

Poesia de Quinta

Pessoal,

Ontem fui ao lançamento de "Um livro", coletânea de poesias, crônicas e prosas do pai de um grande amigo meu: Sidney Rocha (pai).
A obra é o fruto de um trabalho carinhoso e cuidadoso deste meu querido amigo, que quis honrar a memória do seu pai, professor de português e literatura, infelizmente, já falecido.
Foi uma cerimônia muito emocionante, em especial no momento do tocante e comovante discurso do meu amigo, Sidney Filho, que, por sinal, aniversaria hoje. Logo, a Poesia de Quinta de hoje vai especialmente dedicada a ele, com uma bela poesia do seu pai.
Beijos

Deila
DO OTIMISMO
Sidney Rocha

Sem música, sem ritimo, sem pensamento
Vive a poesia,
Na expressão dos que não sabem que são poetas.
Música, cadência, sinfonia
Fogem do verso,
São reverso sem verso,
No verso dos que não são poetas.
Rima, sinfonia, música
Vivem no verso
Sem poesia
Dos que se julgam poetas.
Em forma, cadência, rima
Ritmo, verso, melodia
Vive a poesia,
Sem sinfonia, sem expressão,
Métrica, pensamento,
Só poesia,
Nua de pretensão,
Na alma dos que são poetas de verdade.

PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

sábado, 13 de novembro de 2010

FOTOS DE VICTÓRIA LETÍCIA NA II COPA CEARÁ DE JUDÔ





Victória Letícia (12 - faixa roxa) conquistou a medalha de ouro na categoria sub-13 (+52kg) feminino, na II Copa Ceará de Judô, realizada na cidade de Fortaleza-CE, no último dia 06/11.

quinta-feira, 11 de novembro de 2010

Reunião da ASDECON

Aconteceu nesta terça-feira (09), reunião da ASDECON, na residência da parenta Natalice, em Belém do Pará. Na ocasião foram discutidos assuntos diversos e de interesse geral que em breve serão divulgados na íntegra para os demais associados. Quem informa é a parenta Lica, secretária da ASDECON.
FOTOS ATUAIS DA ASDECON:

Poesia de Quinta

Pessoal,
Com toda esta triste polêmica acerca do preconceito contra os nordestinos (e algumas respostas também preconceituosas contra paulistas/sulistas), escolhi uma poetisa cearense, nascida no mesmo dia do meu irmão Clé, 17 de novembro, só que de 1910, e, infelizmente, já falecida (em 2003), a nossa querida e forte Rachel de Queiroz. Ela foi a primeira mulher a fazer parte da Academia Brasileira de Letras, que teve de modificar seu estatuto para permitir o ingresso de alguém do sexo feminino. Isto nos idos de 1977. E já foi tarde...
A Poesia de Quinta de hoje vai especialmente dedicada a dois queridos primos meus, que moram no Ceará (Fortaleza) e são excelente exemplo de um povo forte e bravo, como os nordestinos, os nortistas, os sulistas, enfim, os brasileiros!!!!!
Natan e Dênis, a Poesia de Quinta de hoje é especialmente dedicada a vocês. Parabéns, Natan, por mais esta grande vitória sua. Como o Dênis disse, este foi só o primeiro de muitos!!!! Estou muito feliz e orgulhosa de você. Aliás, como sempre!!!!
Beijos
Deila
Geometria dos ventos
Rachel de Queiroz

Eis que temos aqui a Poesia,
a grande Poesia.
Que não oferece signosnem linguagem específica, não respeitasequer os limites do idioma. Ela flui, como um rio.
como o sangue nas artérias,
tão espontânea que nem se sabe como foi escrita.
E ao mesmo tempo tão elaborada -feito uma flor na sua perfeição minuciosa,
um cristal que se arranca da terrajá dentro da geometria impecávelda sua lapidação.
Onde se conta uma história,
onde se vive um delírio; onde a condição humana exacerba,
até à fronteira da loucura,junto com Vincent e os seus girassóis de fogo,
à sombra de Eva Braun, envolta no mistério aomesmo tempo.

PS: A Leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Poesia de Quinta

Pessoal,
Esta poesia de Mário Quintana é bem conhecida e traz reflexões interessantes sobre a amizade, o amor, os relacionamentos humanos, enfim.
Assisti a uma palestra, recentemente, que falava também sobre isso, que o amor é libertador, não aprisiona, não arde em ciúmes (trecho bíblico, da carta de São Paulo aos Coríntios, capítulos 12 e 13 - para quem quiser conferir).
E aí vem o Quintana, com sua graciosidade e leveza, presenteando-nos com esta bela poesia. Realmente muito bela e profunda, mesmo sendo aparentemente simples.
Ofereço esta poesia a todos meus amigos, próximos e distantes, em especial para a minha amiga-abraço, minha querida e doce Ivone Sampaio Soares.
Por último, fica a dica de filmes, pois estamos com ótimos filmes brasileiros em cartaz. Tropa de elite 2 é excelente, reflexivo, uma obra-prima para quem quer discutir sobre a violência urbana não apenas no Rio, mas no Brasil. Só que tem cenas muito fortes, de violência brutal. Confesso que tive até vontade de sair do cinema, de tão chocantes que eram. E também tenho meus traumas com 11 assaltos nas costas, logo ver aqueles bandidos (traficantes, policiais, políticos), as cenas no presídio e as "desovas" humanas, não me fizeram muito bem. Mas gostei muito do filme, apesar de tudo...
Agora, quem quer lavar a alma, deixar a vida mais leve e bucólica, não deve perder o novo filme do Arnaldo Jabor: A SUPREMA FELICIDADE. Este aí não tem contra-indicação. É lindo, poético, leve, maravilhoso!!!! Não deixem de conferir.
Um grande abraço a todos,
Deíla

O LAÇO E O ABRAÇO

Mário Quintana



Meu Deus! Como é engraçado!

Eu nunca tinha reparado como é curioso
um laço... uma fita dando voltas.

Enrosca-se, mas não se embola, vira,
revira, circula e pronto: está dado o laço.

É assim que é o abraço: coração com
coração, tudo isso cercado de braço.

É assim que é o laço: um abraço no
presente, no cabelo, no vestido, em qualquer coisa onde o faço.
E quando puxo uma ponta, o que é que acontece?

Vai escorregando... devagarzinho,
desmancha, desfaz o abraço.

Solta o presente, o cabelo, fica solto
no vestido.

E, na fita, que curioso, não faltou
nem um pedaço.

Ah! Então, é assim o amor, a amizade.

Tudo que é sentimento. Como um pedaço de fita.

Enrosca, segura um pouquinho, mas pode
se desfazer a qualquer hora, deixando livre as duas bandas do laço.

Por isso é que se diz: laço afetivo,
laço de amizade.

E quando alguém briga, então se diz:
romperam-se os laços.

E saem as duas partes, igual meus
pedaços de fita, sem perder nenhum pedaço.

Então o amor e a amizade são isso...

Não prendem, não escravizam, não
apertam, não sufocam.

Porque quando vira nó, já deixou de
ser um laço!

PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.