Quem sou eu

Pesquisar este blog

segunda-feira, 26 de março de 2012

Seminário São Pio X comemora Jubileu de Ouro

Rubem Dourado da Fonseca, da Turma de 1962, é o 1º presidente da Associação dos Ex-alunos (Confraria do Irurá)

A Associação dos ex-alunos do Seminário São Pio X está programando uma grande festa para comemorar o Jubileu de Ouro da Instituição (50 anos), com uma Missa na Capela do Seminário, às 08:00 horas, deste domingo, dia 26 de fevereiro.

HISTÓRICO: 
O Seminário São Pio X iniciou sua história a partir do lançamento da pedra fundamental de construção pelo então Bispo da Prelazia de Santarém, Dom Floriano – no ano de 1955, cuja continuidade foi de seu sucessor – Dom Tiago Ryan, que inaugurou o Seminário no dia 25 de fevereiro de 1962; e coube ao Frei Alexandre Dowey seu primeiro reitor. As aulas propriamente ditas começaram no dia 01 de março daquele ano, com uma turma de 39 alunos. Centenas de jovens, entre 09 e 20 anos de idade, estudaram nas dependências do seminário São Pio X, que proporcionou os cursos ginasial e colegial e depois escola de 1º e 2º Graus. Funcionaram os cursos de Teologia e Propedêutica. Ultimamente existem os cursos de Filosofia, que funciona integralmente no Seminário, o Propedêutico no Colégio Dom Amando e o Curso de Teologia em Belém-PA.
A partir do Seminário, formaram-se padres, bispo, religiosos e cristãos, sobretudo. A experiência adquirida naquela casa fez com que muitos jovens seguissem a vida acadêmica. Outros, porém, por variados motivos, não puderam seguir o mesmo rumo. Acrescentada às experiências fora daquele estabelecimento, os ex-alunos do Seminário já idealizavam à algum tempo atrás a constituição de uma Associação, porém, somente agora a idéia tomou corpo e, então, os ex-alunos e colaboradores assumem nova empreitada nos moldes descritos de acordo com o estatuto aprovado em Assembléia Geral de constituição da sociedade.

FUNDAÇÃO: 
A Associação foi fundada com a seguinte denominação: Associação dos Ex-alunos do Seminário São Pio X de Santarém (PA) (APx); com nome de Fantasia: Confraria do Irurá e está localizada na Rodovia BR-163 – Km 3 – S/Nº  – Bairro da Esperança.

DIRETORIA:
Diretor Presidente: Rubem José Dourado da Fonseca (Turma de 1962);
Diretor Vice-Presidente: Antonio Wilson Paz do Nascimento (Turma de 1965);
Diretor Secretário: Marcos Batista Pereira (Turma de 1966);
Vice-Diretor Secretário: Emanoel Pinto Azevedo (Turma de 1963);
Diretor Financeiro: João Santos Filho (Turma de 1965);
Vice-Diretor Financeiro: Emanoel Teixeira Figueira (Turma de 1964);
Diretor Sócio Cultural: Eduardo Augusto dos Anjos (Turma de 1968);
Vice-Diretor Sócio Cultural: Jorge Colares Neves (turma de 1971);
Diretor de Marketing: José Valentim da Mota Figueira (Turma de 1966) e;
Vice-Diretor de Marketing: Eduardo Maurício S. Fonseca (Turma de 1968).

CONSELHO FISCAL:
Titulares: João Marivaldo de Souza – Presidente (Turma de 1963), Reginaldo Wanghon Monteiro (Turma de 1962) e Odilson Antonio Picanço (Turma de 1966).
Suplentes: Francisco das Chagas Teles Rodrigues (Turma de 1954) e Benedito Ramires Brasil (Turma de 1965).
Diretor Espiritual: Frei Alexandre Dowey.

http://www.confrariadoirura.org/portal/
fonte: RG 15/O Impacto

Nenhum comentário:

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

Arquivo do blog

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.