Quem sou eu

Pesquisar este blog

segunda-feira, 22 de junho de 2009

Poesia de Quinta por Deíla Maia





















Recebemos notícias de São Luis do Maranhão versando sobre reportagem publicada ontem, 21/06, no jornal "O Imparcial", daquela capital, com o título "de" Deíla...
A reportagem relata sobre o lançamento do livro de poesias de Deíla, nossa parenta, filha do casal Dulcinea e Bernardo Wanghon Maia.
O livro foi lançado no último mês de maio, durante a candidatura do Sr. Mário Macieira para presidente da OAB. "Poesias de Quinta" foi o nome escolhido pela autora que justifica o título por ter o hábito de toda 5ª feira colocar na internet alguma poesia, que ela chama de “Poesias de Quinta”. Então, quando o candidato a presidente da OAB resolveu promover uma noite de lançamentos denominado "Advogar com Arte", onde vários advogados apresentaram alguma arte (quadros, conjunto de música, etc.), pediu à Deíla que escolhesse algumas poesias para lançar o seu livro, e assim ela fez...
Segundo Dulcinea, desde pequena Deíla gosta muito de poesias.

Muitas ligações para Deíla e Dulcinea enviando elogios pelo lançamento do livro de posesias e pela matéria publicada no jornal.
Parabenizamos a Deíla pelo seu talento e por suas poesias.





Quinta-feira, 26 de Março de 2009

Poesia de quinta por Deíla Maia

Pessoal,
Nesta última quinta-feira de março, mês da mulher, resolvi escolher uma poesia de uma poetisa maranhense com a qual eu me identifico muito, que é a DAGMAR DESTERRO.
Ela foi uma poetisa maranhense, formada em Ciências Jurídicas e Sociais e também em Pedagogia, que abrilhantou o nosso mundo durante 78 anos (1925 a 2004). Foi membro da Academia Maranhense de Letras. Esta poesia faz parte da obra "Pedra-vida", publicada em 1979.
Espero que no corre-corre do dia-a-dia vocês encontrem um minutinho para apreciar esta gota de poesia no imenso mar da vida.
Beijos
Deíla

CORRIDA
Dagmar Desterro
No avanço do tempo corre a vida,
mas nesse tempo há pedras espalhadas,
pedras agudas, carnes esfarrapadas,
sangue jorrando de cada ferida.
O tempo açoita a vida noite e dia
e ele chora, tropeça, levanta e continua.
Só e esperança anima a travessia;
e a alma corre, descabelada e nua.
E a vida não tem tempo, ao tempo, em meio,
de ver o belo existente no caminho;
não perder na corrida é o seu anseio;
sua atenção conserva em desalinho.
No embrião da vida, no tempo, avanço.
Subidas e descidas ─ tantas conheço:
e na vertigem do correr me canso.
Procuro, em vão, meu horizonte do começo.

Postado por Gois Jr. - MatracaDigital às 05:02
fonte:
Saiba mais sobre Deíla:
fonte: Dulcinea Maia (de São Luis-MA)

Nenhum comentário:

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.