Quem sou eu

Pesquisar este blog

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Poesia de Quinta

Pessoal,
A Poesia de Quinta de hoje faz uma interessante reflexão sobre o amor, a paixão... Até que ponto ela depende de nós e até que ponto ela depende de fatores externos para acontecer? Fala de um lado ativo da paixão, aquele que planta as sementes, lança-as na terra, rega, cuida, mas que o germinar, o crescer, o florescer... Ah, estes aí independem apenas das próprias mãos de quem os plantou. Bem, não vou escrever mais para não estragar o deleite de vocês com este belo poema, escrito por uma amiga minha, de longa data, que é música, maranhense e que eu desconhecia sua faceta de poetisa: TANIA REGO. Tânia, parabéns e lhe dedico carinhosamente o Poesia de Quinta de hoje.
Beijos
Deíla
Lavrando a terra
Tânia Rego
A paixão me chegou como um raio.
Aqui, vendo as ondas quebrarem
e os navios pacíficos em seu desígnio no horizonte vão
penso sobre o instante.
Aquele exato e irreconhecível em que te vi.
E que você também me viu, do jeito que o poeta cantou.
Uma total novidade cravada no antigo e velho mundo,
uma busca de reconhecimentos e táteis palavras,
parque de diversão no largo da igreja e todos os cheiros bons da memória.
Falo da certeza de que não basta esse desatino das vísceras nem mesmo essa paralisia de narciso.
Do mesmo modo em que planto sementes de melancia, com carinho, cuidado e zelo, para que a rama se expanda, o fruto rompa e dê a mim o seu sabor, desejo ir em frente.
Sabendo, no entanto, que muito depende da água e do sol que escorrem e não pertencem a mim, nem as minhas mãos.
PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

Nenhum comentário:

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.