Quem sou eu

Pesquisar este blog

quinta-feira, 24 de setembro de 2009

Poesia de Quinta

por: Deíla Maia

Pessoal,
No último domingo, vivi uma experiência muito diferente, marcante, inesquecível: RAPPEL!!!Recebi o convite inusitado, de forma bem casual, inesperada. E o desejo de ir superou tudo...Mesmo bastante ocupada, dei um jeito de ter tempo de vivenciar isso...E não me arrependi.Afinal, são as emoções que fazem a vida valer a pena. Ofereço a Poesia de Quinta de hoje à minha amiga Andressa, com quem tenho "identificação de alma" e que me acompanhou nesta insólita aventura.
Beijos

Deíla
RAPPEL
Deíla Barbosa Maia
São Luís, 20 de setembro de 2009.

Atirar-me no vazio, no nada...Sair da minha “zona de conforto”Abandonar a solidez e as “certezas”...Para levitar na fluidez, no desconhecido
Exige muita ousadia e coragem,
Capacidade de superação, Possibilidade de romper os próprios limites
E aceitar o convite para conhecer o novo,
O incerto... O fugaz! Senti um medo ENORME ao me aproximar
Da fronteira entre o conhecido e o desconhecido
Confiar, deixar para trás minhas barreirasE mergulhar no insólito
Não foi nada fácil!!! E, de repente, eu me vi presa por uma corda
Livre no vazio, solta, leve, feliz
E percebi que o rappel é como a vida
Em que controlamos nossas escolhas,
Descendo mais rápido, mais devagar, parando...
Sem nunca poder voltar
Porque, como dizia Cazuza, “O tempo não pára”E a vida não volta
Cada momento é único, mágico, precioso. Eu me dei conta igualmente
Que não estamos sozinhos nesta vida
Há sempre pessoas acima e abaixo, Ao lado também, Que nos ajudam, orientam, estimulam, amparam
Só que é a gente que escolhe o destino.
E a velocidade da “descida”
Está literalmente em nossas mãos.
Se vamos viver “com emoção” ou “sem emoção”
De frente, de costas ou mesmo de cabeça para baixo
A decisão é nossa! Escolhi sentir a adrenalina
Experimentar uma emoção diferente
Que tomou conta de todo o meu corpo,
Minha mente e me deu novas idéias.
O sentimento é indescritível em palavras
Assim como a vida...

PS: A leitura excessiva destes textos pode ocasionar dependência cultural.

Nenhum comentário:

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

Arquivo do blog

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.