Quem sou eu

Pesquisar este blog

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Paraense lidera reconstrução

Coronel comanda 1.300 brasileiros que abrirão estradas e ajudarão a construir usina




Dos 1.300 militares brasileiros que estarão sob o comando do coronel paraense Ajax Porto Pinheiro no Haiti, a partir do próximo dia 28, 250 terão como missão específica ajudar na reconstrução do País. Eles integram o grupamento de engenheiros militares da Minustah, a missão da Organização das Nações Unidas para a estabilização do Haiti. O tremor da última terça-feira, 12, destruiu pontes e bloqueou estradas de acesso a Porto Príncipe, a capital. Também foram danificadas as estruturas de comunicações, abastecimento de água e transmissão de energia para vários pontos da cidade. Entre as tarefas dos brasileiros, está a perfuração de poços artesianos nos bairros pobres da capital.

O comandante das tropas brasileiras, que é natural de Bragança, no Pará, afirma que há mais de um ano o número de engenheiros militares que integram as tropas brasileiras no Haiti subiu de 100 para 250 homens. 'Estes soldados atuam na construção de pontes, abertura de estradas e ampliação da rede de energia. Agora o trabalho maior será de reconstrução da cidade, na desobstrução e reconstrução das estradas que foram destruídas pelo terremoto, e na perfuração de poços artesianos', afirmou o coronel Ajax, em entrevista por telefone concedida ontem ao jornal Amazônia. Os militares brasileiros também auxiliarão na construção de uma usina hidrelétrica.Ajax está no Rio de Janeiro e se prepara para embarcar no próximo dia 18 para Porto Príncipe. O paraense assumirá o comando do Batalhão da Infantaria de Força de Paz na capital haitiana no dia 28 de janeiro e permanecerá no país até agosto...
Leia o restante da reportagem no endereço: http://www.orm.com.br/amazoniajornal/


Zilda Arns morre em terremoto no Haiti

Nenhum comentário:

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

Arquivo do blog

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.