Quem sou eu

Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Famílias revivem a chegada dos Confederados em Santarém




19/09/07 às 11h21min

140 anos vividos em Santarém




Em alusão aos 140 anos dos Confederados à Amazônia, em especial a cidade de Santarém, seus descendentes reviveram esse momento com roupa típica da época e histórico das famílias. Pela primeira vez, em 140 anos, os descendentes dos confederados decidiram contar sua história aos santarenos. As famílias que se estabeleceram em Santarém foram até o Terminal Fluvial de Santarém, onde, o Reverendo Richard Thomas Hennington construiu o trapiche da cidade. Descendentes dos Confederados com roupas da épocaOs descendentes das famílias Jennings, Hennington, Riker, Wallace Rhome, Vaughon e Pitts, que adotaram o município de Santarém como nova pátria, estiveram presentes durante a solenidade. Estiveram presentes também descendentes de Belém e dos Estados Unidos. Alguns representantes das famílias vieram a caráter, com as roupas usadas na época, lembrando o modo como seus antepassados se vestiam quando chegaram aqui. Descendentes dos Confederados com roupas da épocaMuitas histórias foram lembradas durante as homenagens. A festa, além de promover a união dos descendentes dos confederados, fez o resgate histórico e cultural de cada família. Lee Pendergraft, descendente da família Jennings, mora no Texas, EUA, mas veio à Santarém para participar do evento e realizar pesquisas sobre os remanescentes dos Confederados.Terminal poderá receber o nome do Reverendo Richard Thomas HenningtonDurante a homenagem, o deputado estadual, Alexandre Von, descendente dos Vaughon, solicitou à prefeita de Santarém, Maria do Carmo, que, em homenagem ao reverendo, desse o seu nome ao terminal turístico de Santarém.
Cassielle Rangel / Fotos: Juliane Oliveira
http://notapajos.globo.com/lernoticias.asp?id=11855

140 anos dos confederados

Descendentes das familias confederadas em Santarém simularam a chegada dos seus antepassados. Ao fundo o terminal fluvial.








O Lee... "Meu coração é brasileiro e minha alma é santarena", falou emocionado...
















Há exatos 140 anos, chegavam a Santarém os confederados americanos, sulistas que optaram em sair dos EUA, logo após a Guerra Civil, em busca da terra prometida, no maior êxodo político da história norte-americana.
Para marcar aquele 17 de setembro de 1867, a Câmara Municipal da Santarém realizou sessão solene e novo “batismo” do primeiro trapiche da Pérola do Tapajós, agora denominado "Terminal Fluvial Turístico Reverendo Richard Thomas Hennington", construído por ele no século XIX (1883-1884). Foi o Reverendo Richard Thomas Hennington também quem implantou a indústria naval na região, dentre outras realizações, ao lado de famílias como os Pitts, Wanghon, Jennings, Emmett, Steele, Riker, Hennington, Rhome, Hendenhall, Wilkens, Stroope, Wallace e Franklin.
A Orquestra Jovem "Maestro Wilson Fonseca", sob a regência do maestro Agostinho Neto, o "Tinho", executou o Dobrado nº 22, de autoria de Wilson Fonseca, intitulado "Os Confederados". Rosilda (Hennington) Malheiros da Fonseca, 89 anos, viúva do maestro Isoca, é bisneta de Richard Hennington. Ela reside em Florianópolis (SC), em companhia de sua filha Maria das Dores. Outro bisneto vivo é Rostand Hennington Malheiros, que mora em Santarém. O homenageado é lembrado, ainda, no nome da Escola Estadual de Ensino Fundamental "Richard Hennington", em Santarém.
A vereadora Beth Lima (PR), no BOLETIM INFORMATIVO OFICIAL DO PODER LEGISLATIVO do dia 19/09/2007, ressaltou a importância das famílias que fugiram da guerra nos Estados Unidos, e vieram para Santarém se tornando tradicionais. Foram os Confederados que construíram o primeiro trapiche da cidade e o barco a vapor Mississipi, hoje fazem parte da história de nossa cidade.

Nenhum comentário:

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

Arquivo do blog

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.