Quem sou eu

Pesquisar este blog

sexta-feira, 5 de setembro de 2008

Viaduto Gerardo Monteiro é inaugurado em Santarém













Em cima: Gerardo Monteiro (esq.), Gerardo Filho, Maria do Carmo (Prefeita de Santarém), Dona Irene Wanghom Monteiro (viúva de Gerardo), Anastácia Coralina e Rosalba Wanghon Monteiro (Neta e Filha de Gerardo) e vista parcial do viaduto inaugurado.
Em baixo: o vice-prefeito Delano Riker ao lado de Dona Irene, da Prefeita Maria do Carmo, de José Priante e público presente no evento.











Na noite do último sábado, 30 de junho (2007), o Governo Cidade da Gente promoveu uma grande festa ao inaugurar o Anel Viário e Duplicação da Fernando Guilhon, obra financiada pelo Governo Federal, através de emenda parlamentar apresentada por José Priante, ex-Deputado Federal. “Eu me sinto profundamente gratificado em participar desta festa. Essa obra foi um vai e vem danado e hoje ela está sendo entregue. O esforço em viabilizar sua execução pertence a mim e a você, Maria”, disse Priante.
Centenas de pessoas participaram da festa, bem como, secretários municipais, vereadores e representantes dos governos do Estado e Federal.
A Fernando Guilhon, do trecho correspondente entre a Rodovia Santarém Cuiabá e a Avenida Maracanã foi duplicada, iluminada e recebeu a primeira ciclovia do município, beneficiando diretamente cerca de 25.000 ciclistas, segundo dados da Secretaria Municipal de Transporte - SMT. “Esta obra vai proporcionar segurança principalmente aos pedestres. Sou testemunha do envolvimento da Prefeita em tentar mudar o quadro agravante que tínhamos de mortes em acidentes de trânsito nesta rodovia. Em abril de 2005, ela reuniu conosco e comprometeu-se em realizar um trabalho digno neste perímetro e hoje, recebemos uma obra de qualidade, que vai proporcionar um trânsito mais humano”, falou Edenildo Tapajós, representante da grande área do Santarenzinho.
O Anel Viário recebeu o nome de Gerardo Monteiro, um mestre de obras que se destacou em grandes construções de infra-estrutura no município. “Após 40 anos de falecimento de meu pai, temos a graça de ver hoje a justiça divina ser feita por meio da gestora municipal, Maria do Carmo. Agradecemos a singular homenagem a um homem que dedicou grande parte de sua vida em prol de Santarém”, falou Gerardo Filho, em nome da família do homenageado.
Durante 15 dias (de 16 a 30 de junho), a Prefeitura de Santarém comemorou os 346 anos de fundação do município com uma vasta programação. Foram 28 grandes ações, incluindo a entrega de obras de caráter social e de infra-estrutura urbana. O líder do Governo do Estado na Assembléia Legislativa declarou otimista que mais investimentos virão para a administração da Prefeita Maria do Carmo executar.
“Essa obra simboliza uma nova etapa. A partir de agora, Santarém e o Oeste do Pará saem do castigo a que foram relegados há anos; vamos fazer tudo para que este município tenha mais inaugurações a fazer”, enfatizou o Deputado Estadual Airton Faleiro.
Do mesmo pensamento, compartilha Alexandre Padilha, Secretário de Assuntos Federativos da Presidência da República. “Em seu governo, Prefeita, Santarém se consolida do ponto de vista de estar cada vez mais perto de um bom momento político e econômico. Esta obra foi concluída graças às suas várias idas à Brasília, juntamente com o Priante e ao redirecionamento do projeto e de recursos. Enquanto a Sra. for Prefeita, o Presidente Lula terá um olhar especial por Santarém, pois todo o dinheiro que vem pra cá vira obra”, disse.
Padilha fez referência ainda às críticas maldosas direcionadas à Prefeita Maria do Carmo. Segundo ele, elas não devem ser levadas em consideração por terem cunho específico de difamação. “Como a Sra. está fazendo as coisas, as críticas e invejas dos opositores incomodados aumentam. Da mesma forma como foi dito na campanha do Presidente Lula - ‘deixa o homem trabalhar’, eu agora digo: Deixa a Maria trabalhar”, afirmou.
Em seu pronunciamento, a Prefeita Maria do Carmo fez uma retrospectiva do tramitar da obra inaugurada. “Quando assumi em janeiro de 2005, o viaduto estava parado há dois anos e por opção, resolvi concluí-lo. Primeiro, desembaraçamos a obra do ponto de vista jurídico e depois apresentamos um outro projeto, bem mais amplo e que justificasse sua importância. Agradeço publicamente ao Priante que colocou seu gabinete em Brasília à disposição da Prefeitura. Nosso projeto, que agora sai do papel, não contemplou uma simples passarela, mas ofereceu a essa rodovia de grande fluxo, uma estrutura completa, com duplicação da Fernando Guilhon e ciclovia. Com essa inauguração fico satisfeita em ver nossos munícipes felizes pelo que está sendo entregue. Em duas semanas, entregamos obras que representam investimentos de aproximadamente 13 milhões de reais e isso só é possível porque nosso governo está sanado financeiramente. Prestamos contas dos recursos recebidos; os aplicamos com responsabilidade; gastamos o dinheiro do povo com o povo”, falou a Prefeita.
fonte: Prefeitura de Santarém - Matéria publicada em 02/07/2007

Um comentário:

Benny Franklin disse...

"Justa homenagem a um homem justo".

Gravar para eternidade o nome do Mestre GERARDO MONTEIRO na historia de Santarém, além de um ato de justiça, é um ato de cidadania posto ter sido Ele um grande construtor.

Eu, como parte da sua familia, fiquei deveras honrado.

Bravo! Bravo!

Bandeira da ASDECON

Bandeira da ASDECON
ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE CONFEDERADOS AMERICANOS NA AMAZÔNIA

Brasão da família Vaughan

Brasão da família Vaughan

ClickComments

Arquivo do blog

ESCLARECIMENTO / EXPLICATION

Esclarecemos que em função de erros cometidos por ocasião das escriturações nos cartórios de Santarém, durante os registros de nascimentos, diversas famílias de origem confederada (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc...) tiveram seus nomes escriturados de forma errada.
A família VAUGHAN, por exemplo, assumiu algumas formas diferentes de escrituração: Vaughon, Waughan e Wanghon.
Recentemente alguns descendentes da família VAUGHAN e de outras famílias, com o auxílio de advogados e seguindo as árvores genealógicas, efetuaram as correções devidas nos cartórios locais e passaram a escrever corretamente os seus nomes.
Devido a pronúncia do nome VAUGHAN ser diferente da forma que é escrita, alguns descendentes passaram a adotar a denominação de “Von”, mas tão somente para facilitar o entendimento da leitura, sem alterar a forma de registro.

We clarified that in terms of errors committed during the notary records in Santarém, in the records of births, several families of confederates (Wallace, Hennington, Rhome, Pitts, Riker, Vaughan, Jennings, etc ...) had their names entered in wrong. The family VAUGHAN, for example, took a few different ways to book: Vaughon, Waughan and Wanghon. Recentemente VAUGHAN some descendants of the family and other families with the help of lawyers and following the tree, made the necessary corrections in notary places and began to write their names correctly. Due to the pronunciation of the name VAUGHAN be different from the way it is written, some descendants moved to adopt the name of "Von", but only to facilitate the understanding of reading, without changing the way of record.